segunda-feira, 6 de maio de 2013

Creep

Todos nos somos bastardos
Sozinhos em um mundo desgraçado
Vejo cabeças para baixo e olhos desolados
Chorando a desgraça de um mundo amargo
Lembrando, em sua jaula, os bons dias passados.
“o silencio preludie o caos”
E a magoa afoga minhas pretensões
Uma mentira ‘deslavada’
Para um momento falso de alegria desastrada.

Você tem medo e
E por isso vive como um enfermo
Medo do abraço gelado da morte
Todos dizem que é amor
Hipócritas, negam a verdade
A prova maior é a primeira bomba megadeath lançada
O Inferno
Escravo da sua sina, a morte, o fim.