quarta-feira, 31 de julho de 2013

Como a morte afeta um individuo?

Como a morte afeta um individuo

A morte é algo que causa muita dor, medo e pode resolver alguns problemas, e não falo do suicídio, ele não resolve nada. Sabemos que ela está ali do lado, mas não é um incomodo até aparecer o perigo ou nos atingir de alguma forma. Ela é uma arma para as religiões e o inicio de atitudes estranhas ou insanas.

Quando se perde alguém de muita estima, coisa que ainda não aconteceu comigo, uma enorme dor toma conta do peito, imagino que seja como perder um grande amor. Essa dor pode levar alguém a buscar algo para se distrair ou o que chamam de tapar o vazio. Algo como drogas, atitudes diferentes que chamam de “curtir a vida” ou Hobbies estranhos como o de amar loucamente umas celebridades (não sei se foi realmente por isso). Algumas podem vir de uma interpretação de que a vida um dia acabará e devo fazer o que gosto e me divertir; e outros de uma busca a algo que fará a dor desaparece. Eu tiro isso do tocar violão que me faz esquecer de tudo.

Buscar um pouco mais de diversão não chega a ser um grande problema enquanto se respeita o outro, mas tapar o vazio com drogas e obsessões pode tornar-se um vício e nos destruir. Na verdade em ambos os casos o exagero deve ser evitado (ou talvez não; eu reparei que isso ajuda a dor passar, mesmo que temporário) e quem quer sofrer?

A morte de alguém também traz a nossa lembrança o fato de que vamos morrer. O homem de casca mortal, mas de mente que em seu egoísmo anseia a eternidade, leva-o a buscar uma forma de tornar seu corpo eterno ou manter sua mente viva; e por enquanto só há uma forma de fazer isso: deuses e os poderes mágicos. O viver para sempre é um motivo para alguém se submeter à coisas que nem se deseja; vai de uma roupa sem graça ao genocídio. E ainda na religião, há outra forma de tentar tapar o vazio, buscar uma palavra de conforto, um tudo bem você o verá em um futuro e em um lugar melhor. Se é verdade ninguém sabe, mas isso pode ser "suficientemente confortante".

Talvez hoje o maior motivo para aceitar a existência de uma divindade seja o medo de morrer, já que os raios e trovões não são mais tão misteriosos. Somos tão fáceis de domar, capturados pelos medos e depois levados as convicções pela vontade de que seja verdade. Uma vez vi uma frase: Não seja um escravo de seu fim." A forma mais fácil de dominar alguém é através de seus medos, dos seus pontos fracos. É isso... Não seja um escravo de seu fim, não limite a sua vida por temer a morte.

domingo, 28 de julho de 2013

Sonho

Era noite e um menino de 13 anos, com capuz branco e camisa azul e um amigo vestido de verde, entram montados em uma floresta e fugindo ferozmente. O cavalo do garoto era amarelo e atrás deles vinham 6 cavalos falantes; na corrida inteira ouvisse gritos de entusiasmos como “pega ele” “corre” “vamos”; O garoto expressava preocupação com sua testa franzida e não parava de falar de um elefante branco. Cruzavam a floresta e os perseguidores se aproximavam cada vez mais. Agora o dia estava roxo, estava amanhecendo, e eles saem da floresta e dão de cara com um penhasco. Havia um caminho para direita e outro para esquerda, o garoto de azul vai para direita e o de verde para esquerda, os perseguidores se dividiram em trio e mais uma vez em meio a gritos de estimulo eles se aproximavam do garoto, mas o cavalo amarelo era mais rápido e no chamado do garoto ele acelerava e voltava a se distanciar. Apareceu um cavalo verde que os três outros chamaram de Tártaro e diziam que agora o garoto não iria escapar. Tártaro já estava lado a lado e tentava jogar o menino no rio abaixo, mas, mais uma vez, aos gritos do garoto ele consegue se afastar.

O cavalo amarelo assumiu uma distância confortável e agora o cenário era outro; era dia e saindo da floresta entravam em um deserto onde a única coisa que se via era um trilho de trens e algumas arvores mortas ao longe; o cavalo amarelo passou a correr pela areia e os perseguidores no trilho, muita poeira amarela era levantada pelo cavalo do garoto de azul que correu até um abrigo e voltou o caminho feito, mas por dentro da fumaça. Os quatro perseguidores não viam o horizonte por trás do abrigo e continuam a seguir o trilho. O garoto volta a entrada da floresta e olhava para umas árvores negras e escassas ao longe e agora comemora. Ele puxa um livrinho negro e lê a última página de trás para frente.


Uma garota completamente rosa e esquia conseguiu fugir dos perseguidores. Ela caiu com a cara em uma poça em um lugar desértico, mas com poucas árvores de cor negra. Quando se levanta lê de trás para frente o fim de um livrinho de capa negra. Naquele mesmo lugar surge um duende sorridente e medonho que começa a fazer perguntas e a garota muito furiosa sempre respondendo não; “você foi para lá pelo ouro?” “Pela boneca?” “Pelo seu rei?” - Não vá, espere – grita o duende tristonho agora. Quando ela chega na entrada da floresta onde tudo começou, ela tropeça caindo de cara mais uma vez e grita com raiva: - FOI POR CAUSA DA PORCARIA DE UM ELEFANTE DE GUERRA, SATISFEITO AGORA?

quinta-feira, 25 de julho de 2013

The Zephyr Song


A Canção da Asa-delta


Posso pegar sua mão para escrever
Apenas um pedaço de grafite para morder
Como estou para empinar minha pipa
Você quer piscar sua luz
Dê uma olhada, está em exposição - pra você.
Descer, hoje não.

Você conheceu seu cartomante
Decolou sem um propulsor
Vá em frente, estará sempre livre.
Um caminho para finalmente sentir o cheiro dela
Levante, não é tão duro - pra você.
Pegue um pedaço e vá em frente

Voe na minha Asa-Delta
Eu a sinto mais que nunca
E nesse clima perfeito
Encontraremos um lugar juntos
Voe na minha asa

Rebelde e liberal
Ache um jeito de ser um skatista
Vá mais alto
Amicíssimo aviador
Dê uma olhada, está em exposição - Pra você.
Descer, hoje não

Voe na minha Asa-Delta
Eu a sinto mais que nunca
E nesse clima perfeito
Encontraremos um lugar juntos.
Dentro da água é onde eu centro minha emoção
Todo o mundo pode me deixar para trás
Voe na minha Asa-Delta
Encontraremos um lugar juntos

Whoa whoa whoa whoa whoa whoa - você?
Yeah yeah yeah yeah yeah
Whoa whoa whoa whoa whoa whoa - você não?
Yeah yeah yeah yeah yeah

Voe na minha Asa-Delta
Eu a sinto mais que nunca
E nesse clima perfeito
Encontraremos um lugar juntos

Dentro da água é onde eu centro minha emoção
Todo o mundo pode me deixar para trás
Voe na minha Asa-Delta
Viveremos para sempre
Para sempre...

quarta-feira, 24 de julho de 2013

can't stop?

O mundo que eu amo
As lágrimas que eu derramo
Tudo agora brilha por você
O mundo que eu amo
O calor que queima
curtindo como uma festa que não pode parar
venha e diga-me que ainda teremos nossos tempos

Meu doce explique-me o que acontece
O mundo que eu amo
As lágrimas que eu derramo
todas as direções levam a você
venha e me ganhe.
10 mil razões para um show
O mundo que eu amo
As normas que quebro
certo mensagem corre para meu bebê
Morde-a e diga, minha melhor amiga
mas não a machuque 

Nenhuma mulher é um dicionário
aos poucos aprendo a tê-la para sempre
Vamos dominar até o espaço
Não, meu espirito não para, ele vai buscar você



terça-feira, 23 de julho de 2013

A Trindade do Ódio (Traição)

Traição

A Trindade do Ódio


   Não odeio ninguém, mas já odiei e passou. Essas três condutas são as coisas que conseguem ou um dia conseguiu despertar esse demônio perigoso chamado ódio. A traição ocorrera duas vezes. Em uma, por um primo e em outra por alguém que aparentemente fingiu me amar e eu me iludi, agora parece que não era mentira. Enfim...

   A TRAIÇÃO : Trair é enganar, agir contra o que alguém espera, iludir. Trair se aplica a promessas não cumpridas, essa pode não causa tanta dor. Desrespeitar regras, o que seria quebrar uma promessa. A traição é um ato essencialmente desonesto e inaceitável.

   Quando se fala em traição a primeira coisa que provavelmente passa pela cabeça é em relacionamentos amorosos, mas ela está e todo tipo de interação social que se aplique aos homens. Entre marido e mulher, pai e filho, parentes e parentes, reis e súditos, políticos e eleitores, vendedor e consumidor, enfim, em qualquer lugar que envolva a confiança e olhar de uma pessoa a outra.

   A traição deve causar tanta angustia porque ela acerta o nosso ego. É humilhante, é uma formar de fracassar, de errar com algo que não podia falhar, como ir desativar uma bomba no shopping e cortar o fio errado. A humilhação de uma traição deve ser o que desperta-me tanta raiva, ver-se fracassado, vulnerável e motivo de piada a outros, e no fim perder um mundinho de prazer. É algo que traz muito desconforto e ainda a tristeza a depender do caso.

   O que leva um ser a trair envolve os seus desejos ou o imprevisto (considerando que quebrar uma promessa seja traição). O tipo que traz maior angustia é a cometida por um desejo, a traição em um relacionamento amoroso.

   Ela é presente entre os parentes, e pior, entre pai e filho. Geralmente entre pais e filhos a traição surge da parte do filho quando descumpre uma promessa e faz algo que não deveria fazer segundo os pais, mas ela também é presente quando os pais negligenciam a criação dos filhos. Essas podem ser mais fácies de resolver e magoar menos, mas há uma lista enorme do que pode acontecer entre parentes e amigos.

   A traição em um relacionamento amoroso causa muita dor em um ou nos dois (o traído e o infiel). Essa é bem fácil de saber porque acontece, ou pelo menos dizem, que da parte do homem basta que a fêmea seja atraente e para mulher que o seu parceiro faça uma besteira, mas digo que o contrário também acontece. Essa (a traição em um namoro) é bem comum e é como um grande fantasma para mim. Pior é que parece que ela sempre ocorre, afinal é um desejo extintivo, fazer sexo, porém meu repudio a traição talvez me faça ter controle, mas só de imagina-la meu coração se enche de tristeza. Além da evidente humilhação, o futuro dos genes entram em jogo, posso acabar criando o filho de um outro e minha descendência deixar de existir, o único pedaço de um ser que permanece para sempre, até o meteoro chegar, os seus genes. É possível resistir aos impulsos basta ter auto controle.

   Mas há um tipo de traição que em alguns casos pode ser tolerada e no máximo causa um desconforto ou mais trabalho na empresa, por fim, ela seria o ato de descumprir uma promessa e por consequência acabar por mentir. Estamos a dispor do imprevisto, é mentir dizer que vai em um lugar às 15 horas e porque ficou preso no transito não poderá mais ver Maria às 15, isso é uma forma de trair porque não conseguiu chegar quando disse que iria chegar, mas pode ser facilmente justificada e aceita pela outra pessoa. Ainda nesse nível há o bandido, o fora da lei, que resolve não seguir às regras, descumpriu a promessa de seguir a lei para viver em sociedade.

   Trair também pode causar problemas para mais de uma pessoa. Se um responsável por algo que favoreça a um grupo, como por exemplo um prefeito, for desonesto, isso poderia piorar ou tornar a vida de muitos em uma situação insuportável. Se um político não fornece o saneamento básico, o hospital prometido, a praça, ou qualquer outra coisa dita na propaganda, ele acaba por trair seu povo e dessa vez a sua mentira foi um alto preço.

   A traição geralmente aparece como um ato para um prazer que talvez não dure, por exemplo, o sexo fora do casamento ou a festa que meus pais não queriam que eu fosse, ou então para um benefício próprio como o dinheiro da saúde desviado. Em quase todos os casos há uma falta de responsabilidade com o cargo ou pessoa que prometemos ser fiel e cuidar. O único que foge à regra é a mentira por imprevisto. De qualquer formar para evita-la é lutar contra os impulsos e fazer o seu melhor ao que deve-se responsabilidade.

   A Traição pode levar a um outro sentimento, o de injustiçado.

sábado, 20 de julho de 2013

Mudança de humor

   Sou um romântico, um tolo apaixonado, um alguém que conserva valores que morreram no século XVI, assassinado pelo capitalismo. Tudo bem, romantismo é uma merda, mas parece também que morreu o respeito e o “eu” prevalece sobre o “nós” ou “você”. Bom, não sei se isso é um problema, mas me deprime ir no sentido contrário ao rio, sinto que não tenho valor (dirão que não, mas só sinto).

   Meu primo hoje me fez pensar em como é o relacionamento, mostrou que a casualidade, a busca de um prazer efêmero quem sabe banal e até perigoso, é o que importa para muitos. O grito mor da minha cultura é seu prazer em primeiro lugar! e onde encontrar tal prazer? Muito dinheiro, objetos sem sentido, sexo e drogas. Isso que é vendido, isso que aparece na TV. Estou me perguntando se isso é errado ou se eu estou errado a me preocupar mais com meu intelecto, o bem estar de quem gosto dar carinho a quem tenho afeição e minha política de sempre estar sóbrio. Talvez eu pudesse ser os dois. 

   O primeiro ponto é o sexo, o que importa é comer as pepecas, o sexo apenas para meu prazer sobre tudo e todos. Tudo bem, pessoas podem escolher por uma vida sem compromisso, só que não é apenas isso. Quando ele diz que quer apenas sexo, ele não acaba por buscar somente alguém com mesmo intuito (o que é muito fácil) e esse já é o primeiro problema.  Nunca corri como um louco atrás de sexo sempre rejeitei prostitutas porque penso qual deve ser o motivo dela fazer isso, mas meus primos correm em uma disputa incessante atrás desse momento, o sexo, vejo às suas conversas com as garotas e enquanto na frente delas se mostram corteses e interessados em seu eu, por suas costas os comentários são de causar calafrios. Não estou dizendo que estão errados ao dizer olha que xoxotão ou vou meter a pica, mas acho terrível serem tão falsos e na frente delas de perceberem apenas seus corpos. É claro que por um momento me interesso por uma bela bunda, mas passa tão rápido quanto o tempo que leva para os olhos irem a ela. O valor de uma amiga é maior do que de uma gozada?

  Não só satisfeito em ter apenas sexo, os tais também adoram e se glorificam ao interferir no relacionamento alheio, quero meter minha colher nessa moqueca. Tudo bem, digamos que ter um relacionamento com apenas uma parceira seja algo sem sentido (isso que me pergunto), mas sabemos que alguém traído sofre (traição em qualquer tipo de envolvimento acaba machucando) só que mesmo sabendo disso, por um prazer momentâneo e vazio, uma pessoa acaba traindo sua parceira ou fazendo alguém trair. Já conheci muito dos argumentos que meus primos usam para tentar convencer alguém engajado em compromisso acabar se entregando a um momento casual e a bebida é um deles. Meus primos também tem suas parceiras e mesmo assim ainda procuram por outras, eu às vezes acho que essa necessidade de ter outras é imposta pelo grupo que frequentam, talvez eles nem queiram e no fim, quando seu relacionamento acabar por causa da infidelidade, os seus corações pesariam e seus filhos iriam chorar. Isso é uma imensa demonstração de falta de respeito. Em mim, se decidisse por várias parceiras ainda seria fiel a quem quer seguir o caminho de um relacionamento fechado para dois. Acho que a questão aqui é Por que causar sofrimento se posso arrumar sexo em outro canto?

  Segundo ponto, drogas. Precisamos nos divertir e alguns tipos de diversão acabam por viciar, seja ele videogame, álcool, maconha, cigarro, cocaína, punheta. Enfim, o problema da droga está no vicio, mas aqui há uma outra coisa. Ontem tomei todas to em uma ressaca! Até vomitei, sou foda. Nem gosto de tomar banho que a lombra passa e fico infeliz.

   Irei de início para os meus primos que bebem todos os fins de semanas e por todas as férias. Não tenho nada contra o álcool e em moderação ele é benéfico, mas uma coisa que bem evidente é que usam do álcool para perderem o seu eu, ficarem completamente loucos e vomitados. Vejo isso na TV, salve pânico! Vejo isso em meus primos. Tento entender qual o motivo de beber muito ao ponto de perder a consciência; as suas justificativas são diversão! Pois bem, resolvi dar uma de cientista e bebi para ficar louco e o resultado foi um garoto fedorento, azia, o gosto maravilhoso de vomito, sensações estranhas de mal-estar e uma dor de cabeça extremamente forte no outro dia, mas o pior de todos foi deixar de ser quem sou, por sorte não fiz besteira alguma. Depois disso eu nunca mais bebi, nem se quer uma gota, prefiro a diabetes com meu refrigerante. Entendo quando alguém bebi muito para esquecer seus problemas, mas acho estupido até porque o problema sempre estará lá o forçando a fugir através do álcool e indo cada vez mais para o vício, mas por que jovens que “não se preocupam com nada” bebem tanto? Por que isso os dá prazer? Por que eu não sinto esse prazer? Acho que talvez seja preciso para ter histórias emocionantes para contar, as histórias de meus primos estão em volta de uma garrafa de vinho. Também pode ser para participar de um grupo. Uma das piores coisas nesse vício é que ele destrói famílias, a saúde dos jovens, causa mortes no transito e em brigas, mas ninguém parece se importar.  Onde alguém quer chegar ao beber muito, mas tanto ao ponto de perder a consciência? Se matar e matar alguém?

   A droga é estranha porque ela não diz somente meu prazer primeiro, aparentemente não interfere no “eu” dos outros e poderia até não ser um problema, mas as pessoas tornam esse pensamento uma ilusão. Quando a droga causa o vício, famílias vem a sofrer e isso pode ser de forma direta, como um filho que deixa tudo para usar crack ou indireta, como um bêbado que atropelou e matou alguém e causou sofrimento a uma família. Não me importo se alguém arruína a si mesmo por usar drogas, foi a escolha dele, mas a droga toca outros. Repudio o álcool e drogas que mudam comportamentos por mudarem quem sou e também por coisas tipo: violência familiar, doenças e mortes no transito. Não sei se vale a pena utilizar de forma exagerada coisas que podem causar muitos males, mas fica claro que o dinheiro e o meu canto feliz vale mais que qualquer outra coisa. Independente de qual seja, acabamos por recorrer a nossos vícios para ter prazer, na verdade o vício é a busca cada vez mais exagerada pelo prazer que algo proporcionou.

   Terceiro, o “ter”. Esse já vi muito, talvez tivesse muito a dizer e pouco a perguntar, porém me faltam exemplos e esse também pode fugir da responsabilidade de um. -Pow azuado usando camisa da pena! - Pena? Nem sei o que é isso.

   Ter coisas, em si isso não é um problema até virar uma obsessão, mas onde o “ter” entra no que diz respeito ao respeito ao próximo, rsrs. O capitalismo em si é isso. - você precisa ter! não é o que diz a propaganda? Essa vontade de ter acaba às vezes levando pessoas a fazer coisas que irá causar transtornos ou infortúnios a alguém. Sim, é o roubar e o matar (transtorno e infortúnio) Isso também pode ser de uma forma direta, eu quero isso então vai lá e pega ou indireta, eu preciso disso então vai lá e pega. No caso do eu preciso disso digo indireta porque como todo mundo sabe que o sistema em que vivemos causa a miséria e esse sistema é baseado no lucro e lucro vem se nós compramos as coisas que vendem (comprar => ter). Uma outra forma do “ter” se tornar um problema é quando isso vira um vício e vícios sempre causam problemas. Problemas que só não sei até onde ele vai e quem será atingido. Hum, complicado não?

   Falei no segundo ponto do “meu canto feliz” e essa é uma das coisas que dizem, eu quero é ser feliz, mas o problema é achar que eu não interfiro e moldo o ambiente, que ações que nos deixa felizes apenas hoje, mas amanhã fode uma família inteira não é algo que contribui para um mundo melhor, com menos sofrimento. Talvez fossemos mais felizes se o bem do “outro” também importasse para o bem do “eu” (o que eu penso que seja verdade).

quarta-feira, 17 de julho de 2013

O Ultimo deles

Algo que não aparece a muito tempo...


Tocar o seu rosto é um dos meus maiores prazeres
Seu suave toque faz meu coração palpitar
Explodindo de felicidade quando olho em seus olhos e a resposta é um sorriso
Pela primeira vez fico tímido em escrever
O medo que agora se vai
Porque sei que posso confiar meu coração a você
Minha pequena, garota perfeita
Do corpo que eu desejo
Dona do carinho que espero
Causadora da saudade
Para sempre, lhe espero



Medo do Escuro


Eu sou um homem que caminha sozinho
E quando eu estou andando por uma estrada escura
À noite ou passeando pelo parque



Quando a luz começa a mudar
Eu às vezes me sinto um pouco estranho
Um pouco ansioso quando está escuro



Medo do escuro, medo do escuro
Eu tenho um medo constante de que sempre haver algo por perto
Medo do escuro, medo do escuro
Eu tenho uma fobia de que alguém sempre está lá



Você já correu seus dedos pela parede
E sentiu a pele de sua nuca arrepiar
Quando está procurando pela luz?
Algumas vezes quando você está com medo de olhar
No canto da sala
Você sente que alguma coisa está lhe observando



Medo do escuro, medo do escuro
Eu tenho um medo constante de sempre haver algo por perto
Medo do escuro, medo do escuro
Eu tenho uma fobia de que alguém sempre está lá



Você alguma vez já esteve sozinho a noite
Pensou ouvir passos por trás
E quando virou de costas, não havia ninguém lá?
E enquanto você acelera seu passo
Você achará difícil olhar de novo
Porque você tem certeza de que há alguém lá



Medo do escuro, medo do escuro
Eu tenho um medo constante de que sempre haver algo por perto
Medo do escuro, medo do escuro
Eu tenho uma fobia de alguém sempre está lá



Medo do escuro
Medo do escuro
Medo do escuro
Medo do escuro
Medo do escuro
Medo do escuro
Medo do escuro
Medo do escuro



Assistindo filmes de terror na noite anterior
Debatendo sobre bruxas e folclore
Os problemas desconhecidos na sua mente
Talvez sua mente esteja pregando truques
Você sente, e subitamente seus olhos fixam
Em sombras dançando por trás de você



Medo do escuro, medo do escuro
Eu tenho um medo constante de que sempre haver algo por perto
Medo do escuro, medo do escuro
Eu tenho uma fobia de que alguém está lá



Medo do escuro, medo do escuro
Eu tenho um medo constante de que sempre há algo por perto
Medo do escuro, medo do escuro
Eu tenho uma fobia de que alguém está lá



Quando estou andando por uma estrada escura
Eu sou um homem que caminha sozinho

O Medo da Morte

Não que me assuste ou até mesmo seja um problema, mas hoje pensei "Nossa um dia eu vou morrer. É engraçado como esqueço disso" É ótimo esquecer desse fato, afinal é algo que vai acontecer e que não ajuda em nada o seu presente; imagina alguém que tem na mente que pode morrer a qualquer momento, seria algo tipo uma síndrome do pânico exagerada. Acabaria deixando de viver e como acontece com todos uma dia você morreria, mas sem viver pelo simples medo de morrer. Ter medo de morrer parece algo absurdo, talvez a mente faça esquecer para se proteger, talvez seja pelo famoso egoísmo ou egocentrismo, achar que é o centro do universo, mas apesar disso ele pode ser útil em momentos de perigo porque ele diz: - Vou morrer! Se proteja. e assim terá uma chance de aproveitar o futuro mais uma vez.

sexta-feira, 12 de julho de 2013

Dialogo

Rita: - Por que você não acredita em Deus?
Sequela: - Sei lá, nunca vi ele.
Rita: - Mas você já viu o vento? Não, mas ele existi.
Sequela: - Sim, mas nunca soube que o vento fez uma jumenta falar.

quinta-feira, 11 de julho de 2013

Deus, o ser inútil.

Perdoe-me Sensei acho que falta muita coisa nesse texto...

Eis que eu saio de minha caverna e qual a primeira coisa com que me deparo? Pessoas sofrendo... fome, doenças, mortes e toda miséria que pode cair sobre o homem... Voltei, voltei para a minha caverna.

Costumo ver por ai frases do tipo: “Como as crianças na África sofrem, como sou abençoado por Deus”, “Meu time ganhou, graças a Deus” ou “Sou o único sobrevivente, fui salvo pelo bondoso Deus”. Não consigo me sentir bem só por saber que aparentemente sofro menos que certas pessoas, mas tudo bem não é isso o importante; o repugnante é que ao fim das frases há um deus, melhor Deus.

Não dá para entender porque depois de uma deslizamento onde ficam vivos a sua família e a do vizinho morre alguém diz que recebeu a ajuda divina. O que o faz especial? O vizinho não orou tanto quanto ele? Não seria melhor ter parado a avalanche de lama? Conheço até às respostas que seriam dadas. “Deus é misterioso”, “você não entendi a justiça divina”. O que Deus faz é cagar para o que está acontecendo, estamos a nossa própria sorte em um mundo onde o caos sobre cai a todos. Cristão ou ateu em um desastre está sem ninguém apenas conta com a sorte. 

Deus está morto, mas temam em dizer ao contrário; teimam em compartilhar e gritar bem alto OLHE AQUELE MENDIGO DOENTE E SE ORGULHE E AGRADEÇA A DEUS POR SUA VIDA. Eu como humano, que supostamente não tenho nem uma pequena parte do amor de Deus em meu peito, sinto-me angustiado por não fazer nada a quem está doente ou com fome imagina aquele que criou tal sentimento. Ninguém que ama permitiria o sofrimento independente de qualquer regra patética ainda mais quando eu mesmo a criei e que está abaixo de mim..


Aparentemente Deus não se importa conosco ou não passa de um ser inútil.

Peço que nunca compartilhem coisas deste tipo:

terça-feira, 9 de julho de 2013

B Day

Dia 09/07 o dia em que eu não deveria ter me levantado da cama

domingo, 7 de julho de 2013

II - Ritual


  Pessoas iam e vinham em uma estepe e no alto estava Bianca. Parada e pensativa ao pé de um penhasco. Sua formação já estava para acabar, aprendeu o que pode ser ensinado sobre poções e magia escura e agora só lhe restavam mais duas coisas a fazer: comer e escolher seu inkrov.

 - Inkrov, nome esquisito. – Pensou ela.

 Os inkrovs são seres que compartilham pensamentos com os magos, eles geralmente são como mascote, mas ela estava decidida a escolher um de sua espécie, um humano. Teve seus pensamentos interrompidos por sua tutora, Anele. – lá vem essa velha alta, magrela, chata e feia. – palavras vazias já que era uma mulher linda e de aparência juvenil. – Vamos Bianca, é hora de juntar sua alma a do seu inkrov. Quem será? - Bianca saiu sem responder, mas pensou “não é da sua conta sua velha”.


Despair Cliff by Hyro
  Não havia um lugar exato para aquele momento, então Bianca criou uma esfera negra que não deixava ver de fora o que se passava lá dentro. Ela estava lá sozinha em meio a um vazio tremendo e pronunciando palavras que você não conseguiria entender. Parou e surgiu um rapaz naquela bolha, ela foi até ele que estava desnorteado e o pegou pelas mãos e disse: - Venha! É você mesmo. O guiou até uma mesa de pedra para o ritual, eles teriam que fazer um pacto de sangue em meio aos cânticos de Adele que agora também apareceu ali.

  Depois da noite estranha e com poucas horas de sono, Arthur se levanta e prepara-se para ir ao trabalho. “Ando muito solitário... Ao ponto de ter alucinações com uma garota. Caralho, parecia tão real”. Estava em seus pensamentos enquanto olhava suas olheiras no espelho do banheiro. Saiu para seu trabalho e em sua caminhada esqueceu da garota. Ele era bem esquisito, não pela sua aparência. Não era muito alto, mas não baixinho como uma garota, 20 anos, tinha cabelo castanho que às vezes caia pelos olhos, magro e moreno, na verdade meio amarelo.

  Em seu emprego, havia uma colega que ele não conseguia olhar, seu cabelo preto e longo o fascinava, sua pele morena era encantadora e seu corpo de dar inveja em qualquer deusa. Ele não sabia como falar com ela, por isso, só tendo contato quando ela lhe dava um boa tarde, mas nesse dia isso deveria mudar.

  Três horas da tarde e todos concentrados em seus afazeres em suas pequenas cabines. Um clarão amarelo toma a sala e um som de algo rasgando o céu seguido por uma explosão assusta a todos. Isso se repete por vários minutos, os leves tremores não deixa ninguém se mexer. Todos haviam parado e agora olhavam pela janela, não havia prédios próximos, então podia-se ver até o mar, mas o que chamou a atenção foram buracos enormes no céu, buracos de cor azul bem forte e borda prateada. O som de cornetas começam a soar e a atenção de todos se voltam para às estranhas rochas no chão, uma delas se move e rapidamente fica de pé. Não era uma rocha, era uma coisa verde, gigante, sua aparência era monstruosa, parecia um jacaré e com enormes dentes saindo da boca e apontando para o céu, possuía músculos titânicos e rugia, sua postura era semelhante a de um humano, ele correu ferozmente para um dos prédios ao longe e em um golpe o derrubou. O povo da sala ficou assustado, ninguém reagia. Eles só notaram as outras rochas, quando coisas aladas saíram dela, além disso, um enorme grupo se arrumava próximo as pedras.



terça-feira, 2 de julho de 2013

Além dos muros de Teby (I - Devaneio)

I - Devaneio


Meia noite. Levanta da cama. Ele não consegue dormir há um sonho que o apavora. Olhando em sua geladeira só água. Coloca algo para poder sair. Abre a porta, desce às escadas e para em frente ao corredor escuro que era parecido com o começo do seu sonho. 

Eu andava por um corredor sombrio e sem fim quando achava que não ia acabar surgiu uma garota...

Estava devaneando. Abriu o portão; ruas vazias. Em uma pizzaria, sentado e em sua 3º das 8 fatias, viu ela pela pequena janela. Era branca, cabelos longos, negros e lisos, boca perfeita rosinha e olhos negros. Não acreditou que ela estava ali, lá fora, a garota dos seus sonhos.

Ela pegou em minhas mãos e olhou nos meus olhos. - Venha! Guerreiro meu Inkrov - disse ela. Sua voz era doce como a de uma donzela e nada eu disse apenas deixei que ela me levasse. Chegamos em uma sala com uma mesa de pedra em uma atmosfera sombria. Eu não entendia aquele lugar, era trevas por toda parte, eu parecia flutuar no Universo. Olhei para ela e tentei perguntar o que acontecia, mas o seu sorriso me paralisou e só consegui devolver um sorriso tímido.


Ele saiu naquela noite gelada como um louco olhando para todos os lados e gritando seu nome: Bianca...