quarta-feira, 31 de julho de 2013

Como a morte afeta um individuo?

Como a morte afeta um individuo

A morte é algo que causa muita dor, medo e pode resolver alguns problemas, e não falo do suicídio, ele não resolve nada. Sabemos que ela está ali do lado, mas não é um incomodo até aparecer o perigo ou nos atingir de alguma forma. Ela é uma arma para as religiões e o inicio de atitudes estranhas ou insanas.

Quando se perde alguém de muita estima, coisa que ainda não aconteceu comigo, uma enorme dor toma conta do peito, imagino que seja como perder um grande amor. Essa dor pode levar alguém a buscar algo para se distrair ou o que chamam de tapar o vazio. Algo como drogas, atitudes diferentes que chamam de “curtir a vida” ou Hobbies estranhos como o de amar loucamente umas celebridades (não sei se foi realmente por isso). Algumas podem vir de uma interpretação de que a vida um dia acabará e devo fazer o que gosto e me divertir; e outros de uma busca a algo que fará a dor desaparece. Eu tiro isso do tocar violão que me faz esquecer de tudo.

Buscar um pouco mais de diversão não chega a ser um grande problema enquanto se respeita o outro, mas tapar o vazio com drogas e obsessões pode tornar-se um vício e nos destruir. Na verdade em ambos os casos o exagero deve ser evitado (ou talvez não; eu reparei que isso ajuda a dor passar, mesmo que temporário) e quem quer sofrer?

A morte de alguém também traz a nossa lembrança o fato de que vamos morrer. O homem de casca mortal, mas de mente que em seu egoísmo anseia a eternidade, leva-o a buscar uma forma de tornar seu corpo eterno ou manter sua mente viva; e por enquanto só há uma forma de fazer isso: deuses e os poderes mágicos. O viver para sempre é um motivo para alguém se submeter à coisas que nem se deseja; vai de uma roupa sem graça ao genocídio. E ainda na religião, há outra forma de tentar tapar o vazio, buscar uma palavra de conforto, um tudo bem você o verá em um futuro e em um lugar melhor. Se é verdade ninguém sabe, mas isso pode ser "suficientemente confortante".

Talvez hoje o maior motivo para aceitar a existência de uma divindade seja o medo de morrer, já que os raios e trovões não são mais tão misteriosos. Somos tão fáceis de domar, capturados pelos medos e depois levados as convicções pela vontade de que seja verdade. Uma vez vi uma frase: Não seja um escravo de seu fim." A forma mais fácil de dominar alguém é através de seus medos, dos seus pontos fracos. É isso... Não seja um escravo de seu fim, não limite a sua vida por temer a morte.