segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Amor cristão, de novo (relato)

Well, well, well. O que se sabe do amor nos corações dos seguidores de cristo? Digo o amor que eles pregão...

Na minha família me declarar ateu não causou problemas e intrigas. “Declarar” porquê só disse a quem importava, talvez a maioria não saiba. Talvez ficou tudo bem porque eles me conhecem, não forma preconceito diferente de fora e por isso, com exceção da internet, por ai eu acho melhor esconder isso. Fui pego de surpresa com a leve opinião deles sobre os ateus.

Bom, foi algo aparentemente inocente como "Não se misture!" "São igual a ele" (meus amigos em ralação a mim). "Esse povo tem filosofia de homens" (como se pedras ou macacos filosofassem, macacos talvez depende da definição rs). "São gays" (oO what the fuck?) e coisas assim, mas que apelava para o mantenha a distância (engraçado que não se referia a mim).

Parece inocente não é? Mas pregar segregação nunca foi algo bom. Já falei muito disso aqui e envolvendo os dogmas. Sofri muito por isso.


Falando em gays... ainda não entendi a relação ali encima, mas... Ainda ontem, falou-se da parada gay. Concordo que aquilo é uma bosta e corrompe a imagem dos viados (digo homossexuais). Porém, quando o cristão diz "sou forçado a aguentar isso..." "aqueles vagabundos" e coisas assim... Usam disso para negativar todos os gays e justificar porque os odeia, ou não gosta, é contra, enfim... Imagino que da maioria deles (tenho em mete uns filhos de cristo que não seriam assim) se tivessem poder tocariam todos na fogueira, os que curtem a putaria e os que não curtem. Ah! Talvez daí venha aquilo... generalização, ateu também vai para fogueira...