terça-feira, 17 de dezembro de 2013

IV - Despertar


CONTINUAÇÃO


Arthur devemos partir – Disse Bianca.
- Conhece algum lugar seguro?
- Não existe lugares seguros, talvez nem mais Teby esteja de pé. Uma guerra estar para começar.
- O que é Teby?
- Uma fortaleza conhecida em todos os Universos. Uma cidade cosmopolita extremamente pacífica e casa do povo mais notável que já existiu. Por Jary, não aprendeu nada com os seus sonhos?


“Lembro de ver uma fortaleza, e essa garota estava lá...
- O que faz aqui, guerreiro?
- Apenas contemplando a paisagem, os lindos muros da fortaleza Armmer. E você? O que faz fora da estrada?
- Contemplava a paisagem regando a grama aos seus pés com as suas lágrimas?
- Belo! Belo e verdadeiro como a solidão e a magoa que derruba o meu coração.
- O que atinge a glória de quem derrota dragões? Quem esmaece o ego daquele que tem uma estátua sua lá no centro de Teby? Como derrubar o sábio que aconselha o rei?”


Bianca: - Ei! Acorde! Vamos logo, vem mais dele e não quero me desgastar.
Arthur: - Para onde vamos? Tenho que ir para casa, preciso ver meus parentes.
Alice: - E eu meu namorado.
Bianca: - Não temos tempo, logo isso aqui será um inferno e não terei força para lutar. Esses seres não são nada para os que viram. Querem viver? Venham comigo.

Perdão a essa garota, mas se encaixa perfeitamente.. rs

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

IV - Despertar



Em algum lugar do Universo...
- Vamos, acorde, já dormiu por muito tempo. Abron irá despertar no primeiro nível, em sua casa. Deve detê-lo e vingar nossa raça.
O rapaz loiro, que despertara, olha perplexo para suas mãos e parece brincar com os seus dedos.
- Nazo, acha que ele entendeu?
- Na verdade, ele já sabe de tudo. Todo o conhecimento do nosso povo está nele; todas as memórias; tudo o que sentimos. Ele sabe o que fazer.
- Por que esse corpo estranho? Essa carapaça mole eca!
- É um humanoide como os Elins.
- Aah! Ele não me parece ser muito esperto.

- Ei! Preste a atenção e pare de se tocar – Nazo se voltou para o garoto – Vamos envia-lo por aquele portal, se acostume logo e se prepare.

domingo, 8 de dezembro de 2013

?

Parecia ser um shopping e nele havia 3 mulheres em um andar acima de onde estava um multidão. Uma delas, as mulheres, andava vagarosamente ao redor das outras duas. Elas eram lindas e bem parecidas, já cansei de sonhar com mulheres assim, cabelo negro longo e brancas, mas dessa vez, pelo menos a que andava, estava de cabelo preso e não lembro bem a cor do cabelo, talvez ruiva (era um sonho, talvez nem cor tivesse e só estou imaginando).
Havia uma tensão entre as 3, das 2 para a ruiva. A ruiva disse a elas: "Não se preocupem, só existimos porque eles existem. Só somos deuses enquanto quiserem que sejamos". A ruiva partiu em uma espécie de teletransporte; foi em direção ao céu levada por uma luz azul. Minha consciência dizia que ela foi para Asgard, a Terra onde vivem os deuses.

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

O sonho do jesus esquisito

Um homem de barba bem longa e preta e cabelo curto estava sentado em um ônibus. Ele também vestia-se com uma roupa estranha, marrom, parecia um vestido e aparentava sorrir. Um homem parecido com ele, mas de aparência mais rude senta ao seu lado.
O homem diz para o que chega:
- olá escolhido.
- Escolhido? Para quê?
- Você é meu escolhido que tanto espero.
- Escolhido? Nem me conhece.
- Acredite. Seu passado é irrelevante comparado ao seu futuro.
O "escolhido" sorrir e levanta-se desacreditado.

Agora, à noite, o homem sorridente tinha o que parecia ser uma igreja. Ele dizia a alguém que não aparecia na cena que não se preocupa-se porque o plano corria bem e o dinheiro recolhido estava sendo devolvido naquela noite mesmo sobre algum pretexto que não lembro e a única perda tinha sido uma peça de mármore que teria de pagar depois.

Eu estava indo para o ponto... Engraçado, com a roupa que estou agora. Era o ponto mais próximo de minha casa, bem perto. Não sabia qual ônibus ia pegar, não sabia o nome do lugar, mas sabia como era o ônibus, era o que pegava para ir ao sesi quando estudava no ensino fundamental. Só um detalhe, esse ônibus não passa nesse ponto. Era de tarde e fazia sol, mas tinha uma proteção, preferi ficar em um porte ao lado de uma bela garota.


O homem sorridente do ônibus estava fazendo seu culto e um tumulto se formava lá em baixo. Parecia uma praça medieval em um deserto e um exército subia às escadas de pedra. 5 homens se manifestaram, eram guerreiros, pegaram espadas, escudos e lanças e um moreno disse que ficassem tranquilos. Eles se bateram na escada e 4 deles desciam as lanças nos invasores. A voz do estranho desconhecido falou novamente: - vamos deixar? O que vai acontecer? – o sorridente responde: - não se preocupe, ficaremos bem. Depois de um tempo o sorridente manda os 5 pararem. O líder dos invasores sobe as escadas, sorrir e diz: – Ora, Ora, se não é o meu escolhido.

Enquanto o tumulto prosseguia, uma velha de uma janela grita para uma garota que descia de sua janela por uma escada de palha. "Acordando a essa hora?". A garota não dá atenção, bate na bunda de alguém do culto, o que é estranho devido a distância; o culto ocorria no alto e a sua casa era mais baixa. e sai para o mercado daquela cidade medieval no deserto.