quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

ARTHIUS - ENTROPIA MULTIVERSAL (XIII)

Olá, senhores. Adianto-lhes que este é o último ato da saga do torneio... Espero que tal desfecho corresponda às expectativas. Estamos próximos de uma parte da história que particularmente adorei fazer, ficando muito satisfeito com o resultado. Tentarei abordar os elementos criados com maior profundidade, reforçando os alicerces que sustentam toda a trama.Sei que meu intuito aqui é ajudar, todavia agradeço ao Felipe-sama pelo espaço pois não sou nenhum escritor profissional... rs


CAPÍTULO XIII – A CHAMA IMORTAL




- Lutarei com tudo! Asuka ergueu a mão e invocou Ryujin, sua espada de Etherium flamejante.
- Não pode ser! Isso... é uma relíquia multiversal!
- Sim, um artefato geralmente obtido através das missões da facção o qual concede habilidades únicas ao usuário.
- Mas na maioria dos casos apenas aqueles que beiram a sexta ou sétima aura conseguem usufruir de tal ferramenta. Como é possível?
- Gostou? É a minha primeira!

A maldita enganou a todos, escondendo um poder desenvolvido precocemente. Se antes ela era motivo para preocupar-me imagina depois dessa cena.

O confronto final teve início. A plateia estava eufórica, com boas expectativas da luta. Acompanhava a velocidade da Asuka tranquilamente, mas aquela arma deveras problemática acentuava uma desvantagem. Acabei levando alguns cortes superficiais no prólogo do embate.

- O que foi? Já se feriu? Mal aqueci ainda. Disse Asuka, com um olhar de provocação.
- Apenas testando seu poder de ataque. Pode vir quente que eu estou fervendo! (Piadinha lixo, eu sei)
- Maori, escute-me! Essa garota é pior do que pensávamos. Precisará de ajuda.
- Em boa hora, mascarado. Como irás auxiliar-me?
- Entrei em consenso com o ego e decidimos interferir diretamente.
- Sim, mas como o farão?
- Logo verás!

O meu Etherium começou a reagir violentamente, ofuscando minha visão. Duas magníficas espadas apareceram diante de mim.

- Guardamos um pequeno segredo: somos relíquias!
- Quem diria... Agora transbordo confiança!

Peguei as armas e não senti dificuldade em manuseá-las, muito pelo contrário. Pareciam extensões dos meus braços.


- Alteramos sua propriedade corpórea, convertendo tudo em puro Etherium. Colocamos também uma armadura em sua pele visando anular danos externos. Finalmente ampliamos a capacidade defensiva, fazendo com que sua Essência te proteja automaticamente.
- Grato, senhores. Agora a porra ficará séria!

Pela primeira vez Asuka mudara de expressão. Mesmo com tantos recursos novos nossas forças ainda eram equivalentes, visto que ela ainda não se transformara.

- Parece que perderei se pegar leve. Vamos nessa!

Um gigantesco tornado de fogo cercou a arena de combate. A ruiva falou sério em não facilitar...

- Preparado?
- Nossa... Se você tiver tanto fogo assim na cama caso contigo agora! (História minha sem piada escrota não vale kçkçkç)
- Espero que mantenha esse senso de humor para engolir sua derrota!  

Começamos um intenso duelo de espadas. Elevamos ao extremo nossa vontade de vencer, tornando aquele epílogo competitivo num intenso “frenesi”. Doze horas haviam se passado e não mostrávamos sinal algum de cansaço.

- Ninguém nunca pressionou-a tanto. Proferiu Blossom, surpresa com tamanha atmosfera.
- Isso nem parece um conflito entre candidatos ao nível Elite... Incrível! Gritou um rapaz na multidão, tomada pela euforia.
- Que tal acabarmos com isso? Já me diverti o bastante por hoje.
- Que seja feita a tua vontade, senhorita.

Uma enorme esfera de pura energia se distorceu, criando uma cratera na arena. A luta foi abruptamente interrompida pois a arquibancada corria risco de ser atingida. O empate técnico seguido de aclamação pública encerrou o evento. Asuka teve espírito esportivo e agradeceu pela diversão, dando um aperto de mão amigável.

- Poderíamos repetir a dose um dia desses, que tal? Ela sorriu discretamente.
- Só luto quando necessário, mas obrigado pelo convite. Retruquei.

Palmas estrondosas tomaram conta do local. Os Overlords comentavam em demasia, demonstrando considerável satisfação. Minha promoção era evidente. Após chegar tão longe indagava-me sobre a musa chamada amanhã e seus segredos...

_______________________________________________________________________
Qual caminho tomará Maori? Continuará ele servindo aos ideais de Arthius ou algo mudará seu destino completamente?