domingo, 6 de abril de 2014

ARTHIUS - ENTROPIA MULTIVERSAL (XVIII)

CAPÍTULO XVIII – A QUEDA




Só havia uma maneira de quebrar aquela égide sombria: derrotando a bruxa.

- Nada pessoal, mas tenho que sair daqui. Assim o farei, nem que para tal eu precise dilacerar suas vísceras.
- Pois então tente.

Parti em direção à oponente. Ela desviava facilmente de todas as minhas investidas, fazendo provocações constantes:

- Sinceramente esperava mais de você, garoto. Desculpe, não gosto de desperdiçar meu tempo com fracotes. Acabarei com essa luta agora!

Antes que pudesse pensar em algo fui atingido. A garota, além de veloz, possuía uma força descomunal. Seu soco certeiro arremessou-me longe, sendo que a maldita criara uma espécie de campo de força, deixando tudo ao alcance do mesmo estático.

- Acho que já me diverti o bastante.
- O que farás, vadia?
- Tomarei o que tens de precioso. Selo Sanguinário!

Senti o poder esgotando-se dentro de mim... Uma combinação perigosa de frustração e incapacidade me dominou.

- Mas que droga é essa?
- Um contrato de morte. Só serás o mesmo novamente caso me mate e faça meu sangue jorrar. Pena que és um mortalzinho de merda agora! Laisy gargalhou.
- Pagarás muito caro por isto, eu juro!
- Sem mais conversa fiada, tenho uma relíquia sombria para libertar. Boa viagem! Espero que aprecie a queda!

Maori teve seu coração arrancado. Logo após, seu corpo foi jogado no abismo de Shadowgard. Poucos dias passaram-se e a falta do novo Elite preocupava seus companheiros de facção. Equipes de busca tentaram exaustivamente encontrar alguma pista de seu paradeiro, infelizmente sem êxito.

Enquanto isso...

- Orochi, a hora da ascensão se aproxima.
- Sim. Lamento pela morte dele no processo, boa ferramenta. Enfim, comecemos o ritual.

Uma densa nuvem saía da escuridão infinita. Toda aquela carga maligna materializou-se em um ser aparentemente humanoide.

- Finalmente despertei, e com poder total.
- Encontrei um excelente receptáculo, Shadow.
- Qual o propósito em invocar-me agora?
- A Lilith não colabora mais conosco. Preciso de sua ajuda para destruir Arthius. Acredito que és apto de tal, considerando o nível de poder das relíquias proibidas...
- Como quiser, mestre.

O jovem de Sedna já estava declarado como morto. A notícia correra além das muralhas do reino:

- Impossível! Nunca vi em Elite desaparecer do nada. O que achas, Asuka?
- Pelo que consta as probabilidades apontam para o incerto. Testemunhei pessoalmente o potencial do Maori, todavia nossa inimiga é a Cúpula.

Não muito distante dali as irmãs pertencentes ao grupo do suposto falecido são convocadas para uma missão:

- Nossos relatórios mostram uma exacerbada irregularidade nos arredores de Shadowgard. Investiguem o ocorrido imediatamente!
- Sim, senhor! Vamos, Kataru.

O traidor estava ocupado em seus preparativos quando foi alertado pela sacerdotisa sobre presenças desconhecidas:

- Ora, ora, ora... se não são minhas vadias prediletas!
- Sei que você é o culpado pelo sumiço do Maori, desgraçado! Saoru espumava de raiva.
- Blá, blá, blá... Ele morreu, beleza? Minhas sinceras condolências. Não se preocupem pois logo o farão companhia. Shadow?
- Entendido, mestre...
- Informarei a situação ao imperador. Fique no aguardo de novas ordens, Layse.


_______________________________________________________________________
Qual será o resultado entre a luta das garotas e o ser desconhecido?