domingo, 6 de abril de 2014

ARTHIUS - ENTROPIA MULTIVERSAL (XXIII)


CAPÍTULO XXIII – A ORIGEM


- Posso começar? Asuka preparava-se para a exposição ideológica.
- Quando quiser.


- Nos primórdios só haviam florestas nessa região flutuante. Ashtar, Vangladius e Vashirah eram viajantes que procuravam pistas do possível paradeiro de Arthius, originalmente com a finalidade de encontrar as Entidades.
- Há templos espalhados pelo reino. Estes seres são tão importantes assim?
- Cada altar sagrado daqui é o local representativo de cada ser, inclusive as únicas construções que antecedem o estabelecimento da facção.
- Entendo. O que houve?
- Nosso atual Grandmaster e seus acompanhantes conseguiram chegar no sonhado objetivo, sendo recepcionados pelas formas astrais das criaturas superiores.
- Por que não diretamente?
- As Entidades são oriundas do prólogo multiversal. O nível de poder envolvido está além de qualquer compreensão. Elas criaram um multiverso paralelo visando nos proteger de suas presenças esmagadoras.
- Entendi. Prossiga...
- Tudo não passou de um teste. Queriam deixar estas terras em mãos capazes, julgando os viajantes aptos para tal tarefa. Nasce então a Vanguarda Celestial de Arthius, tendo Ashtar como primeiro marechal.
- Sabes dizer-me a procedência do termo que nomeia nosso reino?
- Uma curiosidade peculiar: tal nomenclatura é resultante da mistura dos nomes dos fundadores.
- Nossa, que criativo! Maori usou uma entonação irônica.
- Pois é. Asuka riu.
- Algo mais a relatar?
- Certamente. A excelente gestão por parte dos pioneiros garantiu o rápido desenvolvimento da facção, atraindo olhares inimigos. Ashtar, temendo a ruína, começara a explorar as técnicas sombrias. O problema consiste na desaprovação de Vangladius, preocupado com a sede de poder do amigo.
- Permita-me adivinhar: nosso Grandmaster decidiu interferir.
- Exato. Só que Ashtar encheu-se de ódio, pois encarou tamanha afronta como traição. A situação já estava fora de controle, então Vangladius expulsou seu companheiro de viagem com a ajuda de Vashirah. O resto da história você conhece.
- Loucura. Mas e quanto aos outros?
- Ninguém sabia determinar quem detinha a razão, portanto cada guerreiro escolheu seu lado.

Maori guardou cautelosamente aquelas palavras. O clima no ar pesava, até que Asuka disse:
- Ice anda estranha ultimamente. Ela sempre usa sarcasmo quando fala de ti.
- A rainha é ciente de nossas conversas?
- Assim acredito. Talvez a Blossom já mencionara algo sobre.
- Espero não causar nenhum inconveniente.
- Tudo bem, garoto. Não querendo vasculhar sua vida, mas por acaso possui pendências para hoje?
- Ficarei aqui mesmo. E a senhorita?
- Igualmente.
- Bem, podemos papear então...
- Verdade... Asuka sorriu.

_______________________________________________________________________
Os jovens sequer desconfiavam, mas alguém estava se aproximando. Quem será o indivíduo nas adjacências?