sexta-feira, 25 de abril de 2014

ARTHIUS - ENTROPIA MULTIVERSAL (XXIX)

A reta final da estória se aproxima. Não sei se conseguirei elaborar um desfecho épico ou algo do tipo. Enfim...


CAPÍTULO XXIX – EPÍLOGO?



- Trago-lhes um singelo presente do próprio imperador: o Ressoar Crescente! Tremam diante tamanha onipotência!
- Atenção todas as unidades! Preparem suas formações defensivas imediatamente! Vangladius parecia ciente da ameaça.
- O que é aquilo? Perguntei.
- Uma relíquia lendária.
- Qual a diferença para um ornamento convencional? Ela é tão perigosa assim?
- Exatamente. Um artefato tende a evoluir juntamente com o respectivo usuário, só que quando o indivíduo alcança a última aura o potencial oculto de seus equipamentos vinculados é liberado, justificando sua periculosidade.
- Então Ashtar é certamente o responsável pela criação. Opções?
- Sincronizar nossas energias visando edificar uma barreira cuja resistência salve o reino da destruição!
- Ou não permitir que ele use tal armamento. Com todo respeito, Grandmaster... estamos falando de poder absoluto! Não cruzarei os braços à espera do fim! Maori levantou voo.
- Garoto, volte!

O grito do líder não intimidou as convicções do jovem Elite. Ele percorria os céus confiante em seu triunfo, procurando afastar o temor da morte. Eis que um lapso de consciência lhe atinge:

“Muitas destas técnicas foram proibidas devido aos danos colaterais. Utilize-as somente como último recurso!”

- Obrigado, Shienn. Maori sorriu.
- O que tens em mente?
- Perdão, Lilith. Preciso de um último auxílio. Queimarei minha Essência para erguer um escudo antimatéria de nível onze!
- Ficaste louco? O preço a se pagar é caríssimo! Por que você? Por que tal sacrifício em prol daqueles que tanto te odeiam e discriminam?
- Eu deveria estar morto, mas a Asuka derramou sangue por mim. Não quebrarei a promessa que fiz. Ela é o motivo de continuar seguindo em frente! Não permitirei que nenhum desgraçado manche a história do reino!
- Entendo o que sentes... e é recíproco pelo que notei. As últimas palavras dela foram bem claras.
- Agora não é o momento de ser piegas. No mais, agradeço. Sua participação crucial proporcionou esta oportunidade...

Illyasvel encontrava-se no céu aparentemente preparado para o ataque final. As forças inimigas realmente confiavam no poderio daquela esfera, visto que os regimentos adversários já haviam recuado.

- Sinto em dizer mas essa putaria acabou!

A voz ecoou pelos ares como um estrondoso trovão, anunciando a chegada do provável salvador de Arthius.

- Qual o seu problema, moleque? Não sabe a hora de desistir?
- Você tem essa voz de viadinho mesmo ou é apenas impressão? (Homofobia mimimi)
- Deveras ousado... A arma está com o nível de energia completo. Desapareça junto com este bando de lixos! MORRA!
- Talvez isso seja um adeus... ESCUDO ANTIMATÉRIA!

Um imenso clarão dominou o local. Poucos enxergavam um magnífico prisma, perguntando-se do motivo de tal eventualidade.

- Então esse é o poder supremo... nunca esquecerei desta maravilhosa sensação, mesmo que tão efêmera. Maori combatia ferozmente a massiva quantidade de poder.

Uma cataclísmica explosão enfeitou os céus, podendo ser vista em todo Mundo Transcendental. A população sequer tinha um palpite lógico que justificasse o cenário:

- Olhem! Exatamente onde fica Arthius!
- O que será que aconteceu por lá?

Maori conseguiu salvar Arthius? O reino foi destruído?


_______________________________________________________________
Próximo capítulo é o último AeHOOOOOOOOOOOOOOOOO!