sexta-feira, 18 de abril de 2014

ARTHIUS - ENTROPIA MULTIVERSAL (XXVII)

Continuando a marotagem... rs


CAPÍTULO XXVII – PANDEMÔNIO



Nossa linha de frente estava em apuros. Aquele campo de rosas tóxicas vitimou centenas de soldados. Mesmo com larga vantagem numérica, as tropas inimigas adotavam uma postura defensiva, comportamento deveras suspeito. Era evidente a existência de um propósito maior por trás daquele cenário.

Vangladius ordenou a marcha progressiva dos outros Elites para dar suporte ao embate frontal. O regimento de arqueiros organizou-se nos morros ao leste, sendo liderados por Wooly. Boatos corriam que ele nunca errava, tendo a fama de “flecha demoníaca”.

- Arcos prontos?
- Sim, senhor!!
- Em posição... atirem!

 Todos os projeteis pareciam convergir em um único dardo, consumindo a luz dos astros adjacentes. Os oponentes sucumbiram aos montes diante tamanha chuva perfurante.
Rest coordenava a equipe médica, tratando dos feridos em combate. Suas habilidades de regeneração surpreendiam até os Overlords, justificando assim tal função de grande responsabilidade.

Cassandra continuava a pressionar as guerreiras não muito longe dali:

- Essa mosca morta é realmente problemática! Resmungou a rainha.
- Não abaixe a guarda, Ice! Vashirah mantinha o foco.
- Minha paciência já se esgotou. Use seus olhos!
- Um mísero erro de cálculo e todo o reino vira cinzas. Não devo colocar nossos companheiros em risco.
- Então será do jeito complicado...
- Pois é...
- Fiquem tranquilas. A brincadeira acabará logo.

Saoru e sua irmã avançavam ferozmente, aniquilando as forças opostas. Uma nova leitura de energia foi reportada pela unidade de reconhecimento:

- Atenção todas as equipes: reforços adversos aproximando-se ao extremo norte! Os grupos livres devem oferecer auxílio imediato!

A notícia espalhou-se. Algumas estratégias sofreram reformulações pois um novo regimento era a ameaça da vez.

- Onde pensam que vão?
- Uma emboscada! Fique perto de mim, Kataru!

As espadachins foram rapidamente cercadas. O responsável por tal situação surgira:

- Desculpem-me, senhoritas. Illyasvel ocupa-se no momento, portanto sou o encarregado de diverti-las.
- E quem é você?
- Ah, perdoem-me pela grosseria. Nivev é o meu nome. O título de Alto-Sacerdote de Ashtar faz jus ao meu poder. Temo em dizer que uma morte lenta e dolorosa as aguardam, nada pessoal.
- Veremos acerca disto... Saoru preparava-se para a batalha.

Maori e as garotas investiam inutilmente contra Esthern:

- Droga! Que vadia irritante!
- Cansei de brincar. Quem gostaria de morrer primeiro?
- Sua insistência em nos subestimar será o passaporte de tua própria ruína!
- Moleque insolente! Morra!

Esthern atacou com velocidade máxima, sem chances de reação por parte do nosso jovem Elite. Aquela espada magmática cravada tornou-se uma nascente de um rio sangrento.


_______________________________________________________________________
O que realmente aconteceu? Alguém foi ferido mortalmente? Escapará Maori dos braços da morte?