sábado, 26 de abril de 2014

ARTHIUS - ENTROPIA MULTIVERSAL (CURIOSIDADES)

ATENÇÃO: CONTÉM SPOILERS VIOLENTOS! SÓ LEIA CASO JÁ TENHA TERMINADO A ESTÓRIA.


Olá, pessoas. Como prometido explicarei alguns aspectos curiosos da história, bem como o étimo de certas nomenclaturas e denominações.

De onde veio o nome Arthius?

Arthius é o nome do exército que você cria para se rebelar contra o império no modo Chronicles Of The Sword no jogo Soul Calibur 3.

Qual a procedência do nome dos personagens?

Maori Mikashi: é um anagrama resumido de uma suposta versão japonesa do meu próprio nome.

Asuka: acho que escolhi esse nome por achar legal, se bem que o mesmo também corresponde a uma personagem do Tekken.

Blossom: termo em inglês que significa flor, fazendo jus às habilidades da mesma.

Sophitia (Ice): Sophitia é uma personagem do Soul Calibur 3. Ice é o resultado de sua fama pela frieza.

Vashirah: essa escolha foi peculiar. Desde o início planejei tal personagem como uma figura transcendental, superior. Decidi fazer alguma referência mística para adaptar ao contexto da estória, por isso Vashirah (variação de Shiva, um dos deuses da trindade hinduísta, a trimúrti). Shiva é sempre abordado como uma divindade da destruição e transformação (mais uma referência aos poderes da guerreira).

Kataru e Saoru: esses não exigiram tanta criatividade. São respectivamente variações de uma única letra das personagens Katara (Avatar) e da Saori (CDZ).

Heavydark: homenagem ao meu amigo sapeco Ted Nuce, o qual joga de arcano no Perfect World. rs

Wooly: nickname de um amigo antigo da época que jogava Perfect World, sendo que ele também era arqueiro.

Rest: termo em inglês que significa descanso, repouso.

Cassandra: Mais uma referência ao Soul Calibur 3. No jogo, Cassandra é irmã de Sophitia.

Illyasvel: nickname de um amigo distante da época de Perfect World.

Vangladius: esse nome foi e não foi inventado. “Van” é um prefixo comum para lordes e donos de castelos majestosos. Juntei com o “gladius” e gostei.

Nivev: totalmente inventado.

Ashtar: um dos vilões de um dos jogos que marcaram minha infância, o Ninja Gaiden 2.

Hallstar: apesar de inicialmente não possuir a intenção, percebi que tal nome tinha um trocadilho maldito. Hall equivale a salão e star significa estrela, resultando em algo como “estrela do salão”, o que encaixou perfeitamente com o contexto no qual tal personagem aparece (luta no coliseu onde todos o aclamavam).

Mastermind: algo como a mente suprema, o detentor da sabedoria.

Lilith: Abordada nos apócrifos como a primeira mulher a se rebelar contra a suposta vontade de deus em fazê-la submissa em relação ao homem (Adão). É um dos grandes símbolos do orgulho e da revolução no conto judaico-cristão ao lado de Lúcifer.

Orochi: referência direta ao personagem de mesmo nome no jogo The King Of Fighters. Na trama do game ele é um mensageiro de deus que desperta a cada 1800 anos para destruir a raça humana. Muitos cobiçavam o poder divino de tal criatura, pagando até a própria sanidade e grande parcela da expectativa de vida como moeda de troca.

Shienn: derivação do nome Irinnen (sim, usei a porra da cidade) com o personagem Shion do The King Of Fighters (não me pergunte o porquê de escolher um andrógeno como base para nomear uma mulher).

Laisy: digamos que esse nome é proveniente de uma história breve de amor e ódio quando eu era um pequeno pensante de 14 anos, mas prefiro não entrar em detalhes... (Por isso a ligação do contrato de morte e tals)

Shadow: uma força das trevas, uma “sombra”.

Esthern: originalmente era pra se chamar Esther, mas daí coloquei mais uma letra.

E quanto às definições gerais? Os lugares?


Etherium: variação do termo “Ether”, elemento misterioso responsável pela formação da massa escura do universo no jogo Castlevania Curse Of Darkness.

Nephilim: variação do termo nefilim, abordado na mitologia cristã como “caído”, “impuro”, “desertor”. Outras referências apontam tais seres como gigantes, híbridos ou “aqueles que do céu desceram à Terra” (epopeia de Atra Hasis). Na estória um Nephilim é o conhecedor do bem e do mal, responsável por manter o equilíbrio multiversal.

Marejeira: mistura de maracujá (minha fruta preferida) com cerejeira. Por isso na estória as marejeiras são variações de cor avermelhada do maracujá que crescem em árvores.

Labirinto das Mil Palavras: totalmente inventado. Simplesmente gostei do nome...

Égide Holística: uma espada lendária fincada numa pedra. Isso te lembra algo? Inicialmente se chamaria Távola Holística, mas mudei na última hora para não parecer tão óbvio.

Overlord: algo como “lorde supremo”.

Grandmaster: mestre supremo, ou algo do tipo.
Ressoar Crescente: mais uma referência ao Perfect World, tanto pelo nome quanto por estarmos falando de uma orbe.

Storn: nome totalmente criado.

Ninniera: é tão idiota que se eu explicar vocês não entenderiam. “Piadinha” interna entre irmãos.

Sedna: existe um planeta descoberto com este mesmo nome se não me engano.
Varsaroth, Osroath, Glasnost e Victoria: Lembram que a estória originou-se de um sonho que tive? Esses foram alguns dos nomes que apareciam no mapa.

Cúpula Negra: o nome por si só já se explica. Um pouco clichê até... rs

Irinnen: derivação distorcida do nome de uma das garotas mais vagabundas que já tive a oportunidade de conhecer.

Ryujin: referência à Ryujin Jakka, a espada incineradora do Comandante Genryusai do anime Bleach.

Samehoshi: provém da Samehada, espada do Kisame no anime Naruto.

Densyt: tão óbvio.

Shadowgard: seria algo como “terra do Shadow”.

Arijigoku: termo que aparecia na tela quando você caía no olho de um redemoinho de areia no jogo Challenger.


Aspectos curiosos da estória:

- A criatura que surge no primeiro capítulo é a mesma do Yu-Gi-Oh (sim, aquela porra medonha apareceu no meu sonho).

- Sabe o enigma do quarto capítulo? Ele existe, só que na “realidade” quem pergunta é uma esfinge (decifra-me ou devoro-te e blá blá blá).

- O “mascarado” e o “ego” são representações das nossas próprias batalhas internas.

- “Isso... Esse garoto arrogante possui poder demoníaco!” Essa fala do oitavo capítulo é uma referência direta ao jogo Devil May Cry 4, quando descobrem acerca dos poderes de Nero.

- Após o capítulo 18 havia a possibilidade de Maori revoltar-se com os Guardiões por um suposto abandono, surtando e querendo destruir os dois lados.

- Apesar de o antagonismo girar em torno de Ashtar, ele não foi idealizado como o vilão principal.

- O diálogo entre Ashtar e Illyasvel, no começo do capítulo 21, é baseado na cena de abertura do Ninja Gaiden 2.

- Maori e Asuka deveriam se beijar no vigésimo primeiro capítulo. Decidi reescrever por medo que ficasse muito meloso.

- Mesmo a estória revelando apenas o nome de uma das Entidades eu já tenho em mente o nome de todas, caso um dia eu continue o conto (são cinco, só para salientar).

- Arthius, acidentalmente, virou o resultado da mistura dos nomes dos fundadores na estória (o reino se chamaria Arthius mesmo que eu escrevesse um contexto totalmente distinto).

- Para quem ainda não sacou: as últimas palavras sussurradas pela Asuka no capítulo 28 foram “eu te amo”.

- Eu planejei inicialmente um final feliz para nosso jovem e a ruivinha, mas queria manter a carga real que coloquei desde o começo então criei mais dor e sofrimento para amadurecer o personagem. Quem sabe não o preparei visando algo além?

Até a próxima (ou não)...