segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

ARTHIUS - SUPREMACIA MULTIVERSAL (XII)

Este capítulo é meio que uma homenagem. Acidentalmente consegui encaixar no contexto da história, ficando deveras satisfeito com o resultado. Se eu terminar essa estória explico no texto especial de curiosidades (caso eu esteja afim também).



SOCIETY




Um aviso foi dado aos Overlords e Elites para que estes fossem ao castelo. Alguns já desconfiavam do motivo de tal chamado:

- Outra reunião terá início, senhores. Vashirah?
- Sim... Discuti com o Grandmaster acerca do programa de unificação e das funções de cada um levando em consideração seus respectivos atributos. Acredito que conseguimos chegar a uma conclusão deveras satisfatória.
- Estamos incluídos? Somos novatos por aqui. Disse um guerreiro entre os novos Elites.
- Claro. A divisão também se aplicou às questões diplomáticas, como alianças e afins. Posso começar?
- Vá em frente. Proferiu Shienn.
- Primeiramente os Overlords: Ice será a general de campo do exército principal. Blossom e Asuka farão parte da unidade de suporte, caracterizando reforço primário. Rest assumirá o comando do esquadrão de médicos. Eu me encarregarei de ocupar a posição de general estrategista do exército principal e porta-voz de Arthius. Shienn receberá seu papel em breve, então não há necessidade de explanações.
- Quem vai liderar o regimento auxiliar? Perguntou Blossom.
- Todos os grupos menores integram a legião principal, logo a Sophitia...
- Entendi.
- Continuando... Finalmente acerca dos Elites: Os calouros – por serem em sua maioria antigos marechais de facções – podem continuar governando seus soldados. Wooly coordenará os arqueiros e outros adeptos do combate à longa distância.
- Acho que estás esquecendo de alguém... Disse Maori.
- Não, jovem. Permaneça após o término da reunião. Alguma dúvida?
- Até agora não comentaram sobre o programa de unificação...
- Perdão, não posso fornecer detalhes. Aguardem instruções posteriores... Mais algum questionamento? Não? Então dispensados.

Vashirah, Vangladius, Shienn e Maori ficaram no local:

- Gostaria que eu começasse?
- Não, obrigado. Já fizera muito por hoje, portanto assumirei daqui. O intuito da presença dos senhores neste momento é uma proposta operacional sugerida pela Vashirah.
- Continue... Maori demonstrava interesse.
- Sabemos que vocês são Nephilins, muito bons por sinal. Particularmente aprecio a conduta de ambos e decidi organizar um núcleo de inteligência altamente secreto e independente. Os membros poderão agir com total autonomia em relação aos regimentos.
- Tipo renegados? Perguntou Shienn.
- Mais ou menos. Lembrando que é fundamental furtividade e absoluto sigilo. Tanto a senhorita quanto o Maori só seguirão ordens diretas minhas e da Vashirah, caso aceitem o convite...
- Observar e analisar... gostei da ideia. Maori gesticulou positivamente.
- Por que não? Parece algo promissor. Esse núcleo possui nome? Shienn demonstra interesse.
- Ainda não tenho um bom em mente... Lamentou Vangladius.
- Que tal Society? Maori sugere.
- Nada mal, garoto. Shienn aprova.
- Também curti. Proferiu o Grandmaster.
- Então está decidido. Society – a facção secreta de Arthius – acaba de ser fundada! Qualquer dúvida posterior favor se dirigirem a mim. Dispensados até segunda ordem! Vashirah encerrou o debate.


___________________________________________________________________________

Um grupo secreto é criado. Quais serão as missões do Maori? Qual o real objetivo de unir os Nephilins?