segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

ARTHIUS - SUPREMACIA MULTIVERSAL (XV)


TERRA DOS FANÁTICOS





- Por quanto tempo mais teremos que andar?
- Não sei ao certo, porém acredito estarmos perto.
- Esse frio é algo incomum, Maori.
- Pois é.

A região Sul de Woltrax – castigada por uma incessante neve – dificultava o percurso dos Guardiões. Vales pareciam abrir um estreito trajeto entre as montanhas...

- Sentiu isso, Asuka?
- Sim. Aproxime-se.

Uma certa hostilidade fez o clima pesar. Desconhecendo a possível ameaça o casal de guerreiros mantinham os olhos atentos.

- O que fazem aqui?
- Quem é você?
- Sou eu quem faço as perguntas, garoto.
- Será que ela é um dos militares? Essa lança dela é estranha.
- Eu? Com aqueles porcos de Ukira? Não me sacaneie, por favor. Sou Kasumi, a Lanceira Lendária. Ajudo a proteger meu vilarejo dos fanáticos de Ukira.
- Sei... E por qual motivo eles te atacariam?
- Não conheces a história de Woltrax? Vamos até minha vila. Te contarei os detalhes no caminho. Acompanhem-me.

Kasumi dividiu conosco o mito de criação do Mundo Transcendental. Nos primórdios haviam dois deuses irmãos, responsáveis por manter o equilíbrio de tal mundo:  Messtrauss e Ukira. O primeiro era a divindade solar e o outro, a gélida. Ambos guiavam os seres no caminho da prosperidade. Messtrauss – tomado pela radiante vaidade de tua essência – difamou Ukira perante às criaturas que ali viviam, proclamando-se o mais poderoso. Aquilo gerou um alvoroço enorme e acabou espalhando o caos pelas terras. O povo separou-se entre os adoradores de ambos os deuses, disputando constantes batalhas através dos tempos. O conflito apenas acabará quando um dos lados for completamente exterminado. E – segundo o tal conto – o grupo vitorioso possui o pleno direito a todos os territórios do Mundo Transcendental.

Alcançamos um peculiar local. Construções abundantes, chegando a preencher muitas árvores.

- Sejam bem-vindos à Qli. Vamos aos aposentos de Rayron.
- Quem é esse? Perguntou Asuka.
- Meu irmão e chefe daqui.

O guerreiro nos recebeu com um belo sorriso. Sua casa aparentava modéstia para os observadores externos, mas aquele encanto era algo difícil de achar mesmo nas luxúrias pelo multiverso afora.

- Sintam-se à vontade. Aceitam alguma coisa?
- Sim, por favor.

O papo foi desenvolvendo enquanto os presentes desfrutavam da farta refeição:

- O que os trazem a tais terras? Perguntou Rayron.
- Digamos que nosso intuito é manter os olhares em Ukira.
- Aquela cidade de fanáticos intensificou sua manobra de expansão. Eles adotaram uma política integralista, visando anexar todos os lugares menores do Sul antes de avançar para o Norte.
- Então provavelmente o pessoal de lá está fazendo o mesmo.
- É o que tudo indica, infelizmente. Parasitas gananciosos que só pensam nessa guerrinha idiota deles.
- Complicado.
- Mas, então... vocês formam um belo casal. Rayron riu.
- Ah, obrigada. Asuka abraçou Maori.
- Se fosse solteiro ia te oferecer a mão da Kasumi. Ela é uma encalhada que só pensa em lutar.
- Aff, Rayron! Me envergonhando na frente dos convidados. Mamãe puxaria sua orelha se estivesse aqui! Kasumi parecia levemente constrangida.
___________________________________________________________________________
Todos curtiam o momento de descontração, mas até quando as coisas ficarão boas para o casal de Guardiões? Haveria algum pingo de verdade por trás do tal mito? Qual será o próximo passo de Maori?