segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

ARTHIUS - SUPREMACIA MULTIVERSAL (XVII)



O ANJO DE WOLTRAX






Asuka observava atentamente a passagem constante de tropas de soldados armados pelos portões fortificados de Ukira. Uma invasão furtiva parecia o melhor método.

- Me pergunto onde está o Maori agora...

Após uma pequena esquivada dos olhares atentos dos militares a ruiva alcançou a praça central da cidade, onde uma enorme escultura ao deus Ukira encontrava-se cheia dos mais diversos ornamentos e presentes.

- PARE AÍ, AGORA!!! Asuka ouviu um grito.
- Algum problema?
- Pelo visto és forasteira. Todos que passam por aqui devem se curvar perante a imagem do nosso Senhor.
- É o seu deus, não meu.
- AJOELHE, HEREGE!!!

Um grupo de uns vinte guerreiros cercou a guerreira rapidamente:

- Estou feliz com tamanha hospitalidade.
- ACATE A ORDEM! ÚLTIMO AVISO!!!
- Me obrigue. Asuka já empunhou Ryujin.

A jovem de Naturia era implacável. Meros capachos de Ukira não tinham a menor chance. Foram pilhados como míseras baratas...

- Alguém mais quer tentar me converter?
- É... É UMA GUARDIÃ!!! ALERTA MÁXIMO! ALERTA MÁXIMO!

Alguns membros da guarda começaram a tocar uma espécie de trombeta. Parecia um tipo de chamado, invocação ou algo relacionado.

- Tudo está escurecendo. O que significa isso?
- Trema diante da ira do nosso Senhor! Ele te punirá severamente por tamanho atrevimento e heresia!

O céu foi dominado por um tom morto, apesar de ainda haver luz. Uma criatura desceu daquela densa paisagem, rasgando os céus com sua magnitude divina.

- É anunciada a chegada do nosso Senhor Supremo!

Todos no local curvaram-se imediatamente, restando de pé a Guardiã.

- Atreve-se a encarar-me, ser inferior?
- Então és o parasita que se alimenta da glória de fanáticos? Que patético... és uma completa desonra para o Multiverso. Deuses... sempre figurando o ego de imbecis carentes por atenção. Marionetes criadas para que os tolos justifiquem a morte e o sofrimento.
- Como ousa proferir tantas calúnias contra minha superioridade? DESAPAREÇA!!!

Ukira brandiu sua foice negra, cortando literalmente o vento. Tudo que aquela foice tocava era anulado e absorvido pelas trevas.

- Acho melhor nem “triscar” nisso. Asuka suspirou.

A luta – bem equilibrada – perdurou por um bom tempo. Nenhum dos combatentes aparentava cansaço ou vantagem. A guerreira procurava uma abertura entre as investidas de Ukira, mas este previa qualquer tentativa audaciosa de desferir golpes.

- Ainda é tempo de rendição! Ajoelhe-se perante a mim e pensarei em poupar vossa miserável existência.

Uma grande explosão interrompe o discurso do ser divino:

- SENHOR!!! SENHOR!!! RELATÓRIO!!!
- O que foi agora?
- As tropas de Messtrauss estão invadindo. O pelotão que guarda os portões será derrotado logo. Providências imediatas são necessárias.
- Eles já unificaram o Norte? Impossível. Um ataque num momento desses... certamente haviam espiões entre nossos homens! DESTRUAM-NOS!!!
- Mas Senhor...
- Suma de minha vista antes que eu te pulverize, idiota.
- S-S-S-SIM, SENHOR!!! O soldado parte em disparada.
- A brincadeira acaba agora... Ukira concentra mais poder em sua foice.
- Errado. A diversão está só começando... Asuka sorri.

____________________________________________________________________________________
Conseguirá Asuka triunfar sobre Ukira? Onde estará Maori? Qual será o resultado da invasão do povo de Messtrauss?