segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

ARTHIUS - SUPREMACIA MULTIVERSAL (XX)


FANTASMA DECADENTE




A Clasíoda começara pra valer. Maori já vagava por terras áridas, visando alcançar seu destino. Pensava também sobre a jornada até então enquanto caminhava cautelosamente:

- Algo lhe incomoda?
- Sim, Lilith. Essa prova, esse monitoramento... tudo estranho. Parece que estão fazendo questão de nos observarem.
- Pensei algumas coisas durante um tempo. Tenho uma suspeita sobre ti...
- E o que seria?

Um estrondoso barulho interrompe o diálogo.

- Isso certamente indica um embate. Devemos averiguar.
- Certo. Vamos...

Ao me aproximar fui surpreendido por enormes pilares de luz. O Hallstar disputava forças contra o Draus. Decidi apenas me esconder e observar aquele confronto.

- É só isso que sabes fazer? Provocou Hallstar.
- Já conheço teus truques. Baixe a sua guarda e encontrarás morte certa. Draus preparava-se para mais uma onda de ataques.

A briga intensa causava uma tremenda barulheira. A chegada da Hazz era só questão de tempo. Hallstar criou ilusões, porém a absurda velocidade de Draus fez com que tal técnica se tornasse inútil.

- Tolo. Minha percepção aguçada me permite formular uma resposta quase que imediata aos movimentos inimigos.
- Parece que terei de pegar pesado. Suspirou Hallstar.

A pouca vegetação do local começou a murchar. O ar incomodava de tão seco. Um misterioso casco adornado com caveiras cobriu o corpo do Guardião.

- Relíquia da Morte: absorção metafísica.
- Uma técnica e tanto...
- Não estás surpreso?
- Já conheço tal habilidade. Sou perito em artefatos, caso não saiba. Draus mantinha a tranquilidade.


Hallstar tinha força e mortalidade. Draus era veloz e astuto. Ambos não economizavam esforços no confronto. O guerreiro fantasma achou uma brecha na guarda do inimigo, investindo com todo poder. Draus tombara, aparentemente destruído.

- Tanta falação pra nada. Resmungou Hallstar.

Maori ainda assistia atentamente:

- Acabou?
- Sim. Hallstar acaba de perder.
- Como assim, Lilith?
- Observe.

Um imenso feixe de luz atravessa Hallstar repentinamente.

- Desgraçado! Como...
- Qual parte de conhecer seus truques não ficou clara? Usando um poder tão destrutivo desse de forma descuidada.
- Maldito. Então...
- Exato. Sei a única fraqueza dessa técnica: justamente o casco. É o que te protege de ser consumido pela energia ao redor. Agora desfrute de uma morte lenta e dolorosa, verme.
- Não me deixe aqui!!!

Draus continuou a caminhar enquanto Hallstar agonizava.

- O que diabos foi aquilo?
- Aquele Draus... Tome cuidado, Maori.

Instantes após o começo da Clasíoda o jovem Elite percorreu vários salões do templo. Sethytys tinha um gosto refinado. A beleza do lugar era inegável.

- Um jardim. Devemos descansar um pouco.
- Certo, Lilith. Podemos continuar nossa conversinha.
- Pois bem... Lembro que o Orochi estava conduzindo um estudo secreto sobre as Cinco Atríades Multiversais.
- Ok. Não entendi nada.
- Segundo a teoria das Atríades cada Entidade pode escolher um ser como uma espécie de receptáculo, outorgando ao indivíduo imensurável potencial.
- Logo a suspeita sobre mim...
- Exato. Acredito que és a Atríade da Criação. Sua sincronia com os escritos do templo de Mastermind, a evolução exponencial do Etherium, a recuperação quase impossível...
- Conhece os outros iguais a mim?
- Sim, mas isso é assunto pra outro momento. Gyruda provavelmente aguarda nossa chegada.


____________________________________________________________________________________

A Lilith revelou algo surpreendente ao Maori. Quais segredos tal relíquia misteriosa esconde? Quem seriam as outras Atríades Multiversais?