quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Salvação

Ainda há o que eles chamam de "salvação". Perdura a tal "esperança" de que tanto falam. O fim também possui o começo. Estamos nele, afinal. Polarizações e declínios entornam a cortina da tão dita atualidade. Roupas se torcem e pessoas não se dão a torcer. O fraco espera a suposta "boa vontade" do rotulado forte e os "guerreiros modernos", auto-intitulados por intermédio de declaração pomposa e arrogante, proclamam o mergulhar do globo em sua própria visão de "justiça".

Há salvação para todos, para tudo. Anulação total. Deve-se apagar, aniquilar tudo que existe. Recomeços não são necessários. A mãe caos já se cansou de tanto rir dessas enfadonhas repetições através dos tempos. O único caminho é destruir tudo que existe e garantir a não renovação de qualquer coisa semelhante.

Essa é a única opção, gostando ou não. E é isso que acontecerá, não importando a demora. Lide com isso em vida ou morra negando o óbvio.

P.S: Volte a escrever alguma merda, Felipe. Não seja um imbecil desleixado. Eu não gosto de concorrentes.

Seu amiguinho "Unknown".

O que você quer ser?

Sempre quando me perguntam o que quero ser respondo: "Nada". Ser envolve vínculos, obrigações, medidas, termos, caminhos, escolhas, atos, traços, muita coisa... e, sinceramente, só quero continuar satisfazendo meus caprichos medíocres e vícios médios pelo resto da minha vida, de preferência. 

Sim, você é livre para me odiar por isso.